Amar é simples


Ronca pra eu ter certeza que está viva, teu sono cansado e longo no meu peito lembra que a tenho perto. Teus pulmões inflam prazerosamente e tuas mãos se abrem numa entrega extrema, exausta de corpo inteiro tuas pálpebras tombaram enquanto meus dedos se perdiam nos teus cabelos. O ar que respiro faz a voz grave que te agrada quando falo tudo que meu jeito bêbado demonstra errado. Trepar uma grande goiabeira florida, trazer a vitória de não ter caído e a palavra que é coragem em habraico.

Amar é simples
um hífen e
já é ex-
Mas não foi,
então, amor de todo
porque tudo
fica mudo
diante do absurdo
de amar
ex- 
tremamente.

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn

Sal