- verso quente

prendeste a lingua nos dentes
perdeste cabelo no pente
só não perdes do ventre
o desejo ardente de mim.

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn