E se nós não pudéssemos nos ver, se por alguma razão ficássemos longe um do outro? Se deixássemos de nos olhar por anos, se alguma coisa levasse um de nós a outro continente? Se estivéssemos afastados em uma grande dor, e se fizéssemos escolhas erradas, e se nos desencontrássemos do próximo minuto pressagiado?

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn

Sal