Quando a água se afoga no Mar da Etiópia

É eu vi o que você disse de amar, um trecho de José Saramago. Eu vi o exato momento que você ficou em duvida de tudo que já conseguiu viver até hoje, se algo valeu pra algo, se a cor foi pra colorir o teu quadro ou se foram mais novas velhas fotos postas na escrivaninha do teu quarto. Senti-me assim também e não quis dizer pra todo mundo que eu poderia ser mais fraco do que aparento, toquei as coisas cheio de entusiasmo pra não morrer longe da praia ou na ilha de Manhattam do Drummond. De repente percebi que as pessoas que realmente se importam conosco nem sempre são aquelas que estão a todo o momento por perto, entendi, aliás, que a distância é muito mais subjetiva que os quilômetros da lógica podem supor, que aqueles que mais pensam em nós, não são os que necessariamente mais nos ligam ou mantém contato.
"Fazer sentido" não faz sentido quando o sentido a seguir é contrário, o "essencial" é conceito próprio dos famintos e consumistas, o "necessário" é derivado do ópio e no fim vale a pena ser como se é no tempo que se quer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn

Historicamente Nú.