Comentário


Não tenho rumo, não sigo rumos e não leio runas. Eu não mudo, venho da escola da escolha. Nada em mim é repentino, aparenta apenas àqueles que desconhecem o tempo das coisas. Liberdade é palavra que não cabe em frases de demagogos, é muito mais espírito que descrição, não convém que seja pretexto para repreender. Eu odeio gente que não ama, que pesa e avalia sentimentos alheios. Meu conceito pré-cozido não trata de analizar sentimentalismo ou perenidade de lembranças que não habitam meu próprio ser. Abstenho-me quando meu nada com nada faz revelia em algo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn

Sal