Lábios de Vênus - átomos sexuais

Tédio não, não me tire de casa para o tédio. Sei das pessoas pela forma como caminham, as pessoas são formigas e tenho alergia a abelhas africanas. Claridade não me deixa à vontade, luz nos olhos e uma chuva de indagações a respeito do que acredito, dos crimes que não quis cometer, das mulheres que dispensei comer e dos diários roubados de vítimas fictícias. Movimentos sazonais de turistas e existem duas estações na minha temporada, diurna e noturna, a primeira serve para o trabalho e reflexão, celebrar a miséria humana, a outra normalmente agrada mais aos amigos e sexo feminino em estado vegetativo ou negligentes do próprio estresse positivo. Ela pega um cigarro do meu maço, sopro a chama do isqueiro para provar que o desejo de a(s)cender nos move mais longe. Fico feliz, claro que sim, com toda essa coisa imprevisível de te ter como "comprimido de avesso", um beijo e tua boca me faz bem, quebra-cabeça montado longe de ti, perto perco as peças e me embaralho todo. Sou viciado, sou banal, sou bicho que corre e cai da brisa alcoólica, sou viado se quiser sou mulher, enfeite de geladeira e usuário de pedra no muro que ergo em torno de ti para confinar tua forma inexata de equacionar. Outra cerveja do fardo, divido o líquido e a lata é doação, sou idiota sem galocha quando a estranha me encara e quer que eu traia a olhos vistos de uma lua crescente no meu quarto minguante. Não, hoje não. Vácuo entre nós, meu corpo extensivo faz tampa para concha que agora é o teu. Levo o cabelo para trás da orelha e deixo tua face livre para meu afeto deleitar, morto de fome a gente tem estômago e vomita a mistura dos corpos quando na linha do horizonte os umbigos se encontram. Na tua forma prosaica de viver entre todos, sou erudito que pouco convence ou agrada quando faço do rock música clássica e indico a prova que escolhas estraçalham a plástica da perfeição. Sou pelo amor, e, por pura vocação esse tipo de gente é suicida, diletantes da arte romântica, alto, baixo ou sem calão nos descrevemos como seres da renovação caótica das horas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn

Historicamente Nú.