Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2009

(A) Hora

Imagem
Vou tirar umas férias dos meus compromissos de ócio. Não escrevo mais por algum tempo, nem penso ou ajo para impressionar. Existem momentos exigindo o "mais ou menos" naquilo que deveria ser primordial, a fim de que uma segunda realidade fique em primeiro plano. 
Se tiver que fazer algo na sua vida, faça por si e para si mesmo. Sim, há alguém avaliando o que e como faz. Dane-se. O prejuízo ou o benefício virá exclusivamente para sua caixa de correio. Faça o melhor. Toda a manhã eu desejo que meu dia termine sendo o mais excelente que eu puder viver, que cada conversa seja a mais fascinante e que cada sorriso seja o mais lindo e verdadeiro. 
Quer me conquistar? Sorria. Dê ao seu sorriso proporções maiores que às suas reclamações, ainda que eu sempre queira ouvi-las. Entregue-se à sensação. Você sabe quais ruas eu passo, os locais onde paro, será difícil me encontrar? Chame e eu vou com pressa.
Preciso descansar um pouco, tenho uma impressão concisa que estou desgastado pelo trab…

Rato

Imagem
Chove agora, amanhã alaga e depois é sol na cara. Despido, inteligente e corrompido faço o tope como uma criança que ainda não aprendeu amarrar o próprio calçado. De ruim não passa, o além é descaso com a própria sorte. Homens e mulheres, respeito, amor, indecência, verdade e sempre a história fica pela metade, e sempre alguém interpreta errado e o Sempre é uma contingência de desocupados. Acordo e ligo o rádio, ensurdeço minha seriedade. Eu não sou réu, sou rato, mas se por pecados maiores não me mato, sobrevivo desolado o tempo da compreensão. Debruce em mim só a expectativa da mudança. A partir daqui não respondo ciente, pra que ficar perguntando? E sim, adoro biscoitos de amendoim.

Quem me habita?

Imagem
Minhas mãos são feitas disso que é carne. São nada. Posso ver através delas, juro que sim. Tentei perceber minha face com meus próprios olhos, seus ângulos e sombreamentos, a face material e não o reflexo no espelho do banheiro. Não pude. Não posso. Não tenho.

Dança em mim

Imagem
Pegue a navalha, o vinho
Deprima os ursos de pelúcia
E faça um sanduíche de ervilha.
Suba a meia-calça
E desça até a garagem
Entre no carro e
Desembarque do juízo.
Óculos escuros ficam bem à noite
Seus saltos assaltam a timidez.
Você vai engolir alguém hoje,
Cuspir na cara da pior cantada?
Ah, deflorar meus melhores acordes
Têm baratas no meu armário
Traça nos seus fichários.
Goza um desastre de picos dissonantes
Dança em mim,
Me traça que sou barato.

-

É melhor que não tentem pressagiar se escrevo para este ou aquela,
é melhor que não transformem palavras em imagens;
não agora, não assim.

Single

Imagem
Agora foi. Parece-me que não consigo encontrar Alguém, e, a essa altura, também não sei dividir mais nada, nem a cama, nem o controle remoto ou o espaço do meu apartamento. Perdi a paciência para ser cobrado, fazer planos a dois e explicar o viés de meus desejos maiores. Cultivo alguns temperos na varanda, regando-os ao entardecer, deixo alguns cactos pequenos espalhados pela casa como objetos de decoração, tomo banhos longos, faço comidas exóticas, falo só e assisto a filmes proibidos pela noite.

Coke

Imagem
Você me deixou com preguiça de ser
normal. Que sinta desapego por mim.
Sabe, tô me sentindo meio coca-cola hoje.
Percebeu como todo mundo é fascinado por
algo ilimitado, ardente e molhado?
Tenho sido uma imitação do que
sempre quis ser. Olhe eu ali:
no jornal, na televisão, em você.
Na gaveta, debaixo da poeira e
pelas prateleiras se amontoam os
livros, vícios de fuga-esperança.
Tenho sido Bandido. Você se agrada
do Mocinho?
Nem acredito em tudo que ouço
Não dou crédito pra tudo que falo
Agora é tudo bobagem, faço canções
de desencanto depois das dezenove
na garagem do Pedro e da Camila.
sol menor é Dó maior.
Minha saliva tem gosto de sabão,
espumo de raiva. Quando lavo louça
quebro os pratos e sempre sou
desastre na vida de alguém.
Não, não é de guarda-chuva,
eu sempre esqueço me roubam ou perco.
Estendo-me ao longo de todo o tapete
e lanço pelos ares cartas do
baralho. Sempre sou desastre
na vida de alguém.