Egoísmo Astrológico

zodiac
Podemos afirmar que horóscopo, ainda que lido por todos, não é acreditado. Sim, pelo menos é o que insistentemente dizemos. Na sinceridade que me cabe digo que leio vez ou outra aquela coluna específica do jornal e sempre percebo presságios um tanto quanto exagerados ou equivocados. Natural, entendo que conseguir padronizar em algumas palavras os acontecimentos da vida de milhares de pessoas regidas astrologicamente de forma similar não me parece ser tarefa fácil. Deixo claro, diante dessas exposições contraditórias, que em nenhum momento me empenhei em realizar qualquer estudo mais aprofundado a esse respeito para poder delimitar aquilo que é exclusivamente fantasioso daquilo que é fundamentado, teorizado e comprovado. Parto das minhas percepções individuais, a fim de expor meus entendimentos gerais ou mesmo a própria confusão e incoerência que alimento sobre este assunto.
Ontem aconteceu algo curioso, ao verificar meus e-mails encontrei um que tratava disso e enquanto lia aquela definição tão conveniente da minha personalidade fiquei perplexo. Não é que aquele negócio era exato?! Sacudi a cabeça e agucei a crítica pra não deixar o impressionismo dominar. Observei que havia recebido o tal correio eletrônico de uma colega geminiana tal como eu e não pude conter um riso irônico. Recordo que outro dia se pôs a criticar de forma muito feminina, entenda-se dócil, minha postura ante as mulheres, e, conseqüentemente, a tudo que me rodeia - a partir da idéia que minha forma de agir é concernente aos traços de personalidade associados ao zodíaco. O instigante, contudo, é que ela fez questão de encaminhar aquele conteúdo permitindo a compreensão de que certamente se identificou como eu, com o que ali se via escrito. Se isso que faço no meu dia-a-dia se embasa nesses aspectos nos quais ela se viu também, que razão teria ao julgá-los desprezíveis, ou seja, incomoda-me não ter o entendimento do que me torna tão abominável quando minha ação condiz com aquilo que é característico de mim. Exemplifiquemos: determinada altura lia-se que a pessoa do signo de Gêmeos “pode parecer superficial ou incoerente, mas só é sujeito a mudança”. Concordo. Você é um terremoto, me gritaram em termos de ódio certa vez, mas é fato que quando o mundo gira, quando a terra treme, os livros caem das estantes, você ama aquele livro e deixá-lo-ia ali por tanto tempo quanto fosse possível, mas já é sabedor de sua história e não pretende tê-lo como patrimônio de admiração estático. Você odeia ficar parado, quando imobiliza alguma coisa é porque precisa de toda sua força para movimentar outra.
Sigamos a desmembrar as definições. Li, também, que os deste signo são bonitos física e mentalmente, contesto a primeira parte da afirmação na certeza de que ter um estereótipo atraente depende muito mais da herança genética e do empenho individual que da astrologia propriamente, quanto ao fato de ser mentalmente bonito fica associado à afirmação conseguinte que o define como vivo e energético, falador e engenhoso. É comum que as pessoas de modo geral se sintam atraídas por manifestações de vitalidade ou por condutas que fujam ao usual. Assim se contempla justificativas óbvias às idéias apresentadas.
Enfim, daquilo que não é peculiaridade, a astrologia contempla com diretrizes gerais e amplas, por isso acaba incentivando um quê de dúvida, não poderia ser diferente. Independentemente disso muitos folharão as páginas do periódico pela manhã para verem como será seu dia, antes mesmo de ir até sua seção predileta de moda, economia ou política. Fica a indagação de qual seria o auxílio ou contribuição específica na nossa vida prática, o que eu vejo é uma conjuntura em que se acentua o desentendimento se dispensando a compreensão alheia para não incharmos um tanto mais a bagagem de responsabilidades. Vivamos naquilo que somos, às vezes machuca, incita, excita, perturba, mas de que outra forma poderia ser? Aceitem ou mantenham a distância segura que abnega a plenitude.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn

Sal