-


Tenho pressa, mas não excedo nem me conformo. Canto e quase grito, pareço sabiá inaugurando o amanhecer. Não há volume que me satisfaça, eu quero que todos me ouçam, eu tenho algo pra dizer, vocês precisam se arrepiar, enlouquecer, berrar com toda a verdade da alma e mentira do corpo. Tudo é amarelo do sol que arde até que a tempestade arranque as roupas do varal, levante o vestido das beatas, sacuda o pólen nas flores e eu só sei fazer um passo de dança. Qualquer sensação sempre será única por ser só sua. Alguém sempre vai: morto, fugindo ou abandonando. Logo depois aparece outro: engraçado, chato ou apaixonado. Você lamenta que tudo vai mudar e eu espero que nunca mais seja a mesma. Pode chorar por amor, tudo vai dar certo quando a fronha secar. Quem nunca o fez perdeu uma vida inteira. Vem, desce as escadas correndo que lhe espero com um sorriso bem grande na face, vou ser seu amigo ao som de Tim Maia amar por inteiro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn

Historicamente Nú.