Pelo Inebriado


A minha causa,
Perde-se nas paredes
Do quarto da tua casa.
Meus valores,
Diluídos no corpo extasiado,
Confundem-se, dissipam,
Nos teus cabelos, apelos,
E todo o mais...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn