Do Impresso


Sabe o que deveras odeio?
Ter de fazer azul,
Quando finda o preto.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Licença poética.

O déspota solitário de Tallinn