Alegro do Querer Cancionado



Entrega-te ao movimento dinâmico dos corpos
Das certezas abandona-te, como criança do por que
Foge do mundo idealizado, e permite
Assim, como por esquecimento voluntário e distraído
Os sentidos aguçados aos sentimentos que nascem

Não arrisques o desfecho
Nem questione os motivos das ações
Faça corroer a História
Pela realidade oposta, com êxito
Entrega-te dócil e desajeitado
Tal qual o subir no telhado
(na vez primeira)
Para pegar a bola do jogo
E dar um abraço à senhora
Que nas ruas de movimento
Ainda hoje vende rosas
(roxas, daqui por diante)

Não te canses ou surpreendas
Beijos ao sol de março
Espere-me para a janta
Aprenderas os desígnios simples
Das horas em minha companhia
O transporte (ao deleite) é
Entregar-te completa
Tens meu pensamento e meu
Hoje.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn

Sal