Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2008

Do Impresso

Sabe o que deveras odeio?
Ter de fazer azul,
Quando finda o preto.




Da Vida na Temporada das Flores:

As coisas sempre me acontecem no tempo erradoOu cedo,Ou tarde demais.Raramente o benefício é pontual.

"Não há nada de errado com aqueles que não
gostam de política, simplesmente serão
governados por aqueles que gostam."

(Platão)






Cinco fixas uma garrafa e dois Copos

Imagem
Na verdade eu não recusaria o convite de um amigo para uma cerveja às 22 horas depois de um dia cansativo, pigmentado, no entardecer, por discutições de cunho social orientadas pelo visionário da religião católica não ortodoxa. Fomos a um bar que anunciava a transmição de jogos do Grenal com uma faixa tremendamente visível dependurada na grade de entrada, mania gaúcha da rivalidade esportiva. Logo adentramos no antro desconhecido e nos aproximamos do balcão de mogno lustroso, cumprimento um amigo que sugava adolescente seu cigarro, também eu, sem demora completei meu copo, dispensando colarinho pra começo.O líquido amarelado e amargo terminara breve sob a luz verde daquele balcão e a secura dos meus lábios, meu acompanhante comprara três fichas e fora jogar sinuca com um homem sem o braço esquerdo, equilíbrio considerável entre ambos já que 'habilidade' não era uma palavra oportuna. Observava, pedi a segunda garrafa e fui convidado a testar o “choque de bolas” com outra, branc…

Poema Abobado

Antonieta Maria, filha de Paulo
Irmão de Afonso
Neto do Congo Africano.
Carroça sem roda,
Furo na bota de Severino
que entrou na estória comigo,
Cunhado!


(à colega Cláudia Gisch, de especial participação)

Linha Sítio (CEBS - vez primeira)

Sob o rochedo, observo reflexivo o todo ao meu redor. Debaixo de onde estou, pode-se ver uma estrada de terra vermelha, que no raro passar de um automóvel levanta avantajada cortina de poeira. Logo à frente, extensas planícies onde alguns animais põem-se vagarosamente a pastar, desconsidero suas limitações intelectuais. Penso por hora que talvez sejam mais inteligentes que nós, parece-me que estão cientes de seus prováveis destinos: o matadouro, por isso vivem calma e prazerosamente cada instante que ainda lhes resta.Vai deslizante meu olhar curioso, observo que a planície mais próxima da estrada fora recentemente arada, há a sua esquerda uma casinha de madeira de um verde um pouco mais claro que o das folhas das árvores, é um tom enjoativo que provoca um leve desconforto. Um pouco mais e já se vê a igreja, silenciosa em seu badalar de sinos, talvez se harmonizando com o meio, ou, consentindo aos pecadores o esquecimento momentâneo de seus dogmas sufocantes e incondizentes com o tempo…

Medicina Cardiológica Subjetiva Aplicada – Pós fase paterna.

Imagem
Patologia Congênita ou Doença de Nascença Esta é especificamente um “furo” entre as câmaras superiores do coração, átrios, que toda criança tem no seu período embrionário e fecha-se no primeiro suspiro de vida, neste caso não se fechou. Esse “furo” de 0,8 cm provoca a mistura do sangue oxigenado com o não oxigenado causando uma sobrecarga na funcionalidade pulmonar já que o esforço é maior para suprir a necessidade de oxigênio no organismo. Prótese é viável mas as chances de rejeição são altas, o caminho mais adequado a ver pelo ângulo da jovialidade da paciente é uma cirurgia corretiva. No período de um mês ela estará apta para realizar suas atividades com normalidade.

Estrada de chão no desvio de pedágio, mais interessante que o percurso normal, no ar a poeira vermelha dos automóveis que passam velozes e o estalido das pedras na parte inferior da lataria, dispensável este comentário já que aquela altura eu nem mais prestava atenção a detalhes como tais. A família reunida acontece nos …

Clique e compre

Imagem
Por certo você nem imaginaQuanto tempo do meu diaPerco-me em pensamentos distantesA idealizar ou lamentar mentecapto.Nem a lua cheia (que a muito não vejo) lhe sugere um ensejoDa tamanha nostalgia(forma poética de dizer saudade)Que invade as paredes claras no escuro do meu quartoInsistentemente, até que o ponteiro quebreA barreira da madrugadaE eu termine a oração que não fizAinda que eu tenteE eu tento!Encontrar alguma coisa Que desvie minha atençãoOu me atire inebriado noutro alguémNão há êxitoNem mesmo nos momentos chulamente oportunos..Sairia correndo, daria um jeito de resolverDa melhor ou pior forma possívelAliás, foi o que eu fizApóio na cerca e deixo que a cabeça penda, bruscaPorque já pensara demasiado.O refúgio aceita um gargaloForte e fétido que sejaDesde que a doses generosasE que não acabe!Quer dormir e acordar pós dois anosCom tudo prontoSem maiores encantosNeutro, simComo a calça begeSem ter de procurar empregoContas a quitar ou compromissos maisAtender telefone nãoEnvi…

Rua da Conferência

Imagem
Eu parei, tirei algumas notas da certeira e entreguei a pequena mulher de turbante na cabeça que logo me foi dando o ramalhete das mais coloridas, variadas e perfumadas flores que eu já vira. Era uma tarde cinza e uma levíssima garoa tornava o dia um tanto quanto estranho, a primavera já permitia aos meus sentidos o deleite de sua bela conjuntura, pássaros que cantam ali, borboletas que bailam acolá e carros, centenas deles, que cortam bruscamente a leveza do cenário, e sob este ar de contrastes ia me dirigindo à catedral no centro da cidade. A solidão persistente já deixava marcas na minha face de vinte anos, os cabelos negros estavam aparados, usava trajes que remetiam o intuito preferencial de conforto à aparência social, uma calça jeans velha e uma camiseta de um alaranjado que se desbotava, intelectualmente graduado e financeiramente pobre. Afinal nem sei como, mas nasceu em mim ainda na adolescência, onde teoricamente a imaturidade e o descaso com o mundo deveriam ter seu pico, …

Alegro do Querer Cancionado

Imagem
Entrega-te ao movimento dinâmico dos corpos
Das certezas abandona-te, como criança do por que
Foge do mundo idealizado, e permite
Assim, como por esquecimento voluntário e distraído
Os sentidos aguçados aos sentimentos que nascem

Não arrisques o desfecho
Nem questione os motivos das ações
Faça corroer a História
Pela realidade oposta, com êxito
Entrega-te dócil e desajeitado
Tal qual o subir no telhado
(na vez primeira)
Para pegar a bola do jogo
E dar um abraço à senhora
Que nas ruas de movimento
Ainda hoje vende rosas
(roxas, daqui por diante)

Não te canses ou surpreendas
Beijos ao sol de março
Espere-me para a janta
Aprenderas os desígnios simples
Das horas em minha companhia
O transporte (ao deleite) é
Entregar-te completa
Tens meu pensamento e meu
Hoje.

Adolescente do Tipo Tensional

Imagem
Quando as orquídeas florescem,
Não me diga setembro?
Chegou visita,
Façamos sala, façamos nada
De errado por hoje.
Pense, pare de correr das incertezas
Cefaléia é dor de cabeça
Leva o prêmio quem ataca primeiro.
(talvez)
E então, estranho não?
Assim, serelepe, cabeça juvenil
Pula de lá pra cá, deve ser zodíaco,
Ou paixão pela arte modernista..
Comprar desodorante no supermercado
E buscar canaã,
Fugir pelos campos de trigo
E depois, entregar-se aos tais perigos..
Onde a força da circunstância te levou?
Aconselho: por hora não more na casa do visinho
Ele, pobre homem, não aprendeu: Artigo
Faz com que “assistir” mude o sentido.
Nem compre um papagaio
Se não estiver disposto a morrer antes..
Por hora: Você nasceu de um ovo?
Da visita,
Na sala, fazendo nada?
Errado por hoje!
Pense, pare de correr das incertezas
Cefaléia é dor de cabeça.

O Evento Social(mente)

Gola alta, gosta?
E do cheiro do após barba
Almíscar, ou fragrância suave
Prepare tudo, pegue notas a mais
Se não conseguires a locomoção da volta,
Não que queira isto, mas sem maiores opções viáveis..
A roupa preta, detalhes da face enrijecida
O cabelo sem demasio de ajeites
Para quebrar linhas tênues impróprias do evento breve
Espontâneo e alegre, cabível
Sem laços de interesse ou ditos de agrado
Amado ou odiado esta noite
Inebriar-te-ei, não procure meus olhos no longínquo
Não encontre meus lábios nem busque dividir o ar respirado
Amado ou odiado
Só, talvez, meio a tantos vocês
Preciso de poucos, imprescindíveis
Não permita que saibam..
Gola alta, gosta?


Amor Sincero

Imagem

Impressões da Quarta (feira)

Imagem
E porque não?
Casal de papel enfeita vitrine
Sempre bem vestidos e sorrindo,
Próximos a um banco de madeira
Com oito pequenas almofadas,
Perfeito por hoje!
Liberdade pra trabalhar até mais tarde
A meia luz de salas climatizadas
Porque todo o esforço seria vão
Sem um subjetivo objetivo..
Noites frias em que volto pra casa
A cada dia mais envelhecido pelo dia
A cada passo mais metodotizado
Pela lavagem cerebral social
E reflexiono o que não vejo
Através do pouco que me é completamente nítido.
Estrelas, sim, a única
Certeza de presença,
Ainda que jaz sua existência no ontem
Haverá brilho ofuscante por muitos amanhãs
E se um céu de nuvens me lançar à solidão
Haverá a lembrança das constelações sul
Até o sol da manhã..
Deve ser, esse mundo, um gigante berçário
Com todos aqueles acessórios dependurados
Sobre a cabeça da criancice de nossas horas
Entretidos somos mais felizes
Ou menos birrentos..
Dinheiro? Só pra morar
Menos longe do inferno,
Tomar suco de laranja
Na refeição matutina, p…