O Diálogo


(Liberdade pra Escolher a Embalagem - II)

“Digo:
Tens tempo?
Sente aqui, agora,
conte-me seus sonhos
(seus segredos)
Por hoje não serei teu homem
Somente um ouvinte entusiasmado
Que busca no som feminil de uma voz
As respostas justificativas de ações incompreensíveis.
Discorra teu passado
E chore se verterem as lágrimas
Diga-me teus planos, onde você pretende estar
Dormindo daqui a cinco anos?
Não disfarce nada,
Sei bem mais que imaginas
Ponha-me disposto a mostrar tudo que sou capaz
Eu sou um fantasma coberto por um lençol
Espectro dependente dos sentimentos humanos.
O namorado,
Peixe,
Peixe de água doce!
perfeito na brasa acompanhado a vinho branco..”

‘™

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn

Historicamente Nú.