Vendedor de Abacaxi


Eu sei que você pode dar um jeito,
Fazer com que seu erro seja acerto
Mas não encara nada
Se esconde por detrás da armadura
Empunha a lança e ataca..
Não, guerreiro manco!
Vai de peito aberto, sem ter certeza alguma
Vá por ir, ainda que não resolva
Ainda que não solva o que desejas!

Aconselha o Olho mágico:
Deixe escancarada essa porta!
Qualquer um deve poder conhecer-te
Sobe,
Desce..
Esquenta a água pro chimarrão,
Faz companhia pra visita..
E como vai sua filha?
Sorria um pouco,
Seu coração é um poço de paz!
Vem pertinho de mim
Sana minha carência
Não se ate a displicência
de ter um lado de amor compromissado..
Mas saiba,
Amanhã eu fujo!
E que seja você capaz de me trazer de volta..
Só há no espaço de tempo
Entre minha vida, e minha próxima vida
Uma breve corrida pelo infinito
Pra sair da felicidade, e cair num cesto de vime
onde continuarei feliz..
Não sei quem sou,
Não sei com quem sou
E se soubesse: matéria inútil!
Digo que Raul ensinou pela metade
Ao cancionar o “medo da chuva”,
Digo que guardei uma alga no meu casaco
Pra poupar uma morte pela falta de oxigênio..
Digo que não minto,
(ainda que quisesse transformar em mentira
grande parte do que digo) não no que sinto
quanto a você?
Prefiro não saber,
Prefiro ausentar-me do ponto de encontro
saber um não saber reconfortante
repleto de meus conceitos atenuantes..

- Olho mágico,
E se for ladrão?
- Tranque tudo e vá para debaixo da cama!

- Sinhô é ieu!

‘™



Comentários

  1. opa... rapaz e aí como vai essa vida???
    bem quero dizer que continuo acompanhando esse o passageiro viu....
    e quero dizer também que eu fiz o meu blog...
    então por favor entre lá e comente..
    espero que goste do meu humilde e pobre geito de fazer,,,
    www.geisonaquino.blogspot.com
    abraços e atá breve...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

E tenha o teu dito a contribuição que preciso.

Postagens mais visitadas deste blog

O déspota solitário de Tallinn

Sal